domingo, julho 05, 2015


 E o «Costa-Nova» navegou......

Hoje a Ria vestiu-se a primor: a embarcação «Costa-Nova», pediu-lhe licença para um passo de dança, no seu majestoso tablado.

Um tango?

Nem por isso: vento de 25 nós, vaga forte, marés vivas, vaga empolada: a «catraia» atrevida, entrou...e... mostrou-se: elegante, de linhas tão suaves que não se sabe onde começam as redondezas e...se vão esconder as «entradas»... (de águas, seus malandros viciosos !!!!).

A «catraia» é atrevida. Gaiata e gosta de fandango, saracoteando-se ao mais leve afago que lhe indica o rumo.

Parece querer fugir, e logo volta, rosa encravada nos lábios, ancas bamboleantes, olhar guloso, sem pedir «amuras» só a pedir:

– Dança comigo: as coisas vão e não voltam mais... não.. não te queixes que não há vento. Há vento sempre que um homem e uma mulher quiserem...
 

 
Gira …gira...coração...

Vem dançar a música da vida

Que já não sabes tocar

A tua deusa...é a mulher ausente

 Vestida no meu corpo presente

Não… não a quero trair

Nenhum beijo traduz

Ou atenua

A fome desse corpo imaginado.



SF.  


 

Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...