sábado, junho 20, 2015



Canção da noite...

 

Noite  tardia

A entrar porta escancarada

Nos meus loucos

Sentidos,

Ainda despertos.

A penumbra cai sobre a ria

nesta hora morta de fim de tarde...

Penso em ti,

E na loucura das vezes em que

Me acordavas

Só para eu te dizer:

Dorme,

Que  eu deixo o meu coração

A teu lado:

Sei de cor

A côr dos teus olhos

Os embrulhos do teu cabelo

A quentura dos teus beijos:

Dorme---

E tu pousavas  as tuas mãos

No mais profundo de mim,

A procurar o caloroso alento

do meu corpo ardente.

 

 

Tu não saberás, nunca(!)

Amor...

Como hoje peno

O beijos  que  deixei  arder no tempo,

 E o tempo que não tive

para morrer  dentro de ti.

Assim era bom «adormecer»...

Meu coração

No teu aconchegado.

 

 

SF

 

Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...