quarta-feira, abril 01, 2015




Aveiro (cont): Capela de S-João Baptista
 



 

Incluo hoje este documento fotográfico que marca um momento histórico para Aveiro.

Depois de implantada a República, numa certa, incontrolada e assanhada  atitude, houve por todo o lado a destruição, pura e simples, de diversos templos ligados à Igreja. Cujas posições  muito próxima do miguelismo não tinham ,ainda, sido digeridas pela ala mais jacobina  republicana. e porque um clero pouco evoluído, retrógrado, ainda ignorante e com medo de perder os privilégios ,era feroz oposição para os princípios republicanos,

Aveiro ,cujos ideais  liberais tinham sido pagos com a vida e o desterro de muitos dos seus heróis, não poderia ter escapado  a uma vingança, ainda que simbólica. Curiosamente já tal tinha sucedido com a destruição da Igreja de S.Miguel, sem duvida um templo anterior à formação Pátria .E assim, o templo do S. João Baptista, do Rossio, será completamente destruído, nada dele restando : arrasado pedra sobre pedra .

 




                                                     Foto 1-      A Igreja de S.  João  ainda erecta

 



                                          Foto 2-   Restos da Igreja de S. João (já praticamente demolida)

O local, que cremos é perfeitamente identificável ,ficava sobre a curva do canal  do Côjo (o principal) contornando o Rossio, frente à ponte da Dubadoura (também em tempos conhecido como da Ribeira, ou canal das Azenhas)..
 







foto3-  Rossio






Foto 4-Outro documento,  na curva do canal
 
Usando  uma leitura do Mapa de Teixeira Albornaz (1641) poderíamos (?) pressupor que a referida Igreja, é, pós  aquela data. E pós Estaleiro de S João, que ali esteve instalado. Só que não sabemos a data exacta do trabalho de Albornaz, em Aveiro, integrado no lindíssimo  Atlas de El Rey Planeta. De facto entre a data da publicação e o inicio da representação de todos os portos da Península, mediaram décadas.



                    Grav.1-Detalhe de Aveiro por  Teixeira Albornaz. Vê-se nitidamente a representação do Estaleiro de S. João.(Atlas de El rey Planeta)

 

 Grav 2-A Vila  Séc XVII

Já na representação do mapa que pretende desenhar a Vila em 1696,também nela não se assinala nenhum templo no Rossio.. Teria sido posteriormente  erecta?.

Na verdade o templo de  S.João começou a tomar forma em 1607.

Com a destruição da Capela de S.Miguel, demolida em 1835,as relíquias de  S.Sebastião oferecidas por D João III,depois de um devastador surto de peste e que lá estavam, guardadas a três  chaves, vieram para a Capela do S. João  Baptista. Em grande, vistosa  e muito concorrida procissão:-referiu-se ao tempo. As relíquias continuaram a ir na  procissão, que todos os anos se realizava a  20 de Janeiro .

A Capela de S.João deveria ter sido erecta numa zona(ainda) alagadiça ,de marinhas e quando da sua destruíção  pode ser   apreciado um enorme palheiro pertença da marinha de sal, anexa.



foto5-A Capela de S.João Baptista de outro angulo e casa anexa

 

SF -Abril 2015

(Foto 2 e3- Horta Carinha col.postais) Restantes : Onda vídeo -Rui Bela-

 

 


Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...