quarta-feira, novembro 05, 2008

Perto e longe....


Remeto-me ao silêncio

e nele formulo a tua ausência

Nos lábios que invento.

Quanta sede ao adormecer.

Quanto secreto sofrer

De não Te ter.


SF
(20.10.2008)

Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...