segunda-feira, janeiro 05, 2015



 

 

Alguém vai ter que responder……

 

É na amizade, que quando é forte se afirma mais nos maus momentos do que nos de sublimação, que reside um dos sentimentos a que dei lustro toda uma vida. Empenhei na  amizade, que dispensei a tantos, o que de melhor tive para oferecer : um carácter disposto a todos os riscos para, se e quando necessário fosse, me colocar, independente de credos ou religião, ao lado dos que requeriam a minha ajuda.

Por isso levo em grande apreço a posição de Mário Soares, ao estar ao lado do seu amigo Sócrates, nesta hora amarga de enxovalho, daquele que foi –e afirmo-o sem duvida de qualquer espécie – o melhor primeiro Ministro depois de Abril. A história se encarregará de repor a verdade e as condições descontroladas em que a Europa mergulhou com «ordens» controversas, e até contrário, ordenadas de Bruxelas aos Países perante o terramoto financeiro de 2008.

Mário Soares vem colocar a questão na sua verdadeira dimensão:

A prisão (enxovalho) de José Sócrates é absurda. E pouco ou nada tem a ver com o apuramento dos factos (que continuam por se saber). Mantêm-no preso, para psicologicamente o fazer dobrar. Ou porque já não sabem o que hão- de fazer com ele.

A prisão de um cidadão qualquer, nestas condições, é ilegal. É anti-constitucional

Nestas condições, o Presidente da República, tem publica ou privadamente, de exigir um esclarecimento rápido da situação, por um tribunal superior ( com poderes, esse sim!-para investigar um Ex Primeiro Ministro.

E os que deliberadamente, por mera prática justiceira, se esqueceram que ocupam os seus cargos para exercer «justiça» (coisa bem diferente!...) têm de vir pedir desculpas publicas.

Se o não fizerem, terão de responder por isso, logo que reposta a constitucionalidade no País.   

SF

 

Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...