sexta-feira, maio 30, 2014


Haja   decoro….


Mastigo com enorme impaciência, a crise que se instalou no PS.

Sou um dos muitos que sempre acreditou ser, António Costa, uma excelente e muito melhor opção politica. A melhor  solução, dentro do Partido, para Secretário Geral..

Mas o facto é que quando deveria ter avançado, não avançou.  

E mais: depois comprometeu-se com o seu eleitorado da CML. Como virar-lhe as costas, agora, um ano apenas decorrida a sua eleição ?

O avanço para o fim que anunciou, o da pretensão de substituir o actual líder, prometendo êxitos maiores,é, a meu ver, extemporâneo.Anunciado em local e tempo, errados.

Se na Comissão Politica, no calor da discussão dos resultados eleitorais do passado dia 25, nascesse a crise, e aí  fosse ponderada a questão de convocatória de novo Congresso, tudo bem. Era uma atitude politica, nascida no sitio certo, fruto de discussão interna. É assim que eu entendo as  virtualidades de um PS.

Mas feita  nos dias imediatos, logo após o acto eleitoral, quando os resultados são,ainda, particularmente difíceis de analisar, em rigor ( pelo menos apressadamente), o desafio  de António Costa parece-me precipitado. Justificava-se ouvir sensibilidades (internas e até externas), variadas ,e depois sim, extrair  as consequentes ilações ,e partir para o desafio.Assim.... isto parece a noite das facas longas.

Dou-me muito mal com atitudes de duvidoso procedimento ético. E sou dos que pensam  que a ética pessoal não pode ser posta de lado, mesmo nesse mundo torpe da política.

Choca-me  ver  Presidentes de Federações (ex.- o de Aveiro), a afirmar, publica e apressadamente,  que a Federação X, ou  Y ,dão o seu apoio ao Sr Costa ou ao Sr Seguro, sem terem minimamente consultado os seus  federados. Façam-no em nome pessoal, mas sublinhem o facto.    

O salto de Costa é um pouco atrevido. Não sei ,e julgo que poucos o podem saber, se vai ter êxito. E se tendo êxito, haverá  tempo e condições para se cumprirem as elevadas expectativas ,criadas.

Fica claro : não gosto do modo como se processa  o arreda-te lá para trás. Em condições normais não hesitaria a quem dar o meu voto. Nestas, terei de pensar. Por simples decoro

SF

Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...