sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Aviso da Paróquia


“O preço do curso sobre “Oração e jejum” inclui as comidas.”


--------------------------------------------------------------------------------

Eu já o sabia, há muito..

O ex-ministro da Justiça, Aguiar Branco, do PSD, só ontem descobriu – e disse-o em voz alta – a pequena dimensão de Ribau Esteves (Publico de hoje).

Iniciaram – se, às claras, fortes movimentos nas hostes PSD -PPD’s visando dar um pontapé no dito há este grupelho de populistas desbocados, líricos e impúdicos, que pensavam ser tão fácil enloilar o País, como o era ensandecer as clientelas partidárias locais.

Fico preocupado.Penso mesmo escrever uma carta aberta aos que se propõe chutar os ditos, devolvendo-os à procedência, para, encarecidamente, lhes pedir que os deixem lá ficar. Deixem-nos ir uma vez por outra Televisão – ao programa da Maya, por exemplo – e isso será o bastante lhes alimentará o ego. Mas por favor não o devolvam…

----------------------------------------------------

Relatório da SEDES


Este relatório da SEDES é preocupante. Porque dizendo coisas óbvias, não se percebe, muito bem quem acusa. O Santana Lopes que se deveria ver atingido pelo que lá se diz, afirma-se muito preocupado com a situação. Como se ele não fosse um dos grandes culpados desta borrada toda.

De facto o tempo não dá para antever coisas boas. O futuro é preocupante. O tempo em que vivemos só nos traz pequenos títeres a substituir outros pequenos títeres. Parece que já nem destes há títeres a sério. Parece que a sociedade politica é hoje o esgoto imundo, onde só vasa a sordidez, a cobiça material, o assalto ao poder a todo o custo, o descalabro da falta de ética, o despautério da sem vergonha.

Por isso temo o desencanto. E não sei como se vai conseguir ultrapassar este desencanto, esta maledicência que vai engrossando, com uma comunicação social que se revê na desgraça, empolando-a, exorcizando-a. Vendendo-a sofregamente.

É contudo verdade: há uma abismal diferença entre o que se diz e o que se faz. Com uma impunidade que parece não envergonhar os palradores.


Aladino

Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...