sábado, agosto 25, 2007


POBRETE MAS ALEGRETE


Li uma afirmação do Berardo .
Diz o ricaço, que o «Verão lhe desperta o vicio de fazer amor».
Fico a pensar que estes novos ricos são o contrário das formigas : estas amealham no Verão para o Inverno ;aqueles amealham no Inverno para gastar no Verão ,com o «viagrar» do vicio.

Fiquei a perceber melhor porque nunca os invejei. Durante a vida ,felizmente –olho agora para trás sem remorsos –nunca dei que tal «vício» –ora ..ora! - tivesse época especial .Porque todas as épocas eram boas, para o alimentar (no bom sentido ,claro!).

Bem dizia a minha avó:

- POBRETE MAS ALEGRETE
-----------------------------------------------------------------------------------------------

PORQUE NÃO HÁ MÉDICAS UROLOGISTAS ?

Fez-me a pergunta ,depois de ter consultado uma obstetra:
-Porque é que não há médicas urologistas?...
Fiquei espantado e ,confesso, não tive resposta razoável para lhe dar.
E discorri:
Era bem melhor .Assim, aquando da consulta anual ao Dr Ricardo , chegado o solene -e chato !- momento, em que me atira,
-Desculpe lá engenheiro ,mas tem de ser ….
Se fosse uma urologista –que imagino dextra e desinibida ,claro! -, não responderia como sacrossantamente o faço :
- Vá doutor!... mas não abuse …
Para dizer :
- Por quem é Doutora .Esteja à vontade …é um prazer
Não !...não sria bem assim ;mas um homem perante as mulheres não pode fazer figuras tristes…

-----------------------------------------------------------------------------------------------
GESTOR …INVESTIGADOR…

Há hoje tanto disso….Qualquer dia vai ser um tal desemprego.
Eriçam-me os pêlos, quando vejo um fulano auto intitular-se – e apor no cartão de visitas - um dos títulos referidos .
Na maior parte das vezes são titulações ,completamente ocas.

Porque gestores -da nossa difícil contabilidade familiar - ,ou investigadores - da natureza humana -,afinal, todos o somos, um pouco .E às vezes com resultados notáveis.

Nada que se compare com certos investigadores-há excepções ,claro..claro.E das boas- que andam uma vida a investigar «tudo, do nada» .Lêm uns livrecos ,fazem uma citação bibliográfica do que nem leram ,ordenham uma palavras sem lá incluir o que quer que seja de opinião própria ...e botam no cartão : Investigador(a)
Uma vida a fazer de conta . Em impante exercício de prosápia barata.
Na vida é necessário ter descrição para exprimir o saber; como docilidade para compreender que, quanto mais se sabe…mais falta saber .

Aladino

Sem comentários:

De dúvida em dúvida...vamos aprendendo. Se há parte da História de Portugal que nos foi mal “vendida” nos bancos da Escola, foi a da ...